Novo terminal as margens da Babitonga

O projeto do novo Terminal Marítimo possibilitará a preservação de grande parte da área do terreno, devendo ser mantidas as características naturais da área, assim como o valor paisagístico da região e a biodiversidade local. Não haverá obras de dragagem, uma vez que os píers serão instalados no canal natural da baía, o píer interno em uma cota batimétrica média de 8,5m e o píer externo, uma média de 12,0m. A ponte de acesso aos píers será elevada, em alguns locais, de forma a permitir o trânsito de embarcações da frota pesqueira artesanal e pequenas embarcações de passeio – lazer. Será melhor assegurar serviços em nosso próprio município para não perder serviços para portos vizinhos da região, segundo a opinião de alguns dos estivadores. A tendência será mais transferências por portos alternativos, com o aumento na linha de produção da antiga Vega do Sul, nos próximos meses. Houve muito tempo perdido para avançar no projeto que alavancará ao lado do Porto de São Francisco do Sul, a economia portuária local. Como estratégia no abastecimento, com as bobinas para alimentar a já consolidada produção na ArcelorMittal, esta logística via um terminal no Rocio Grande é mais seguro e prudente. Primeiro pela retirada de inúmeras carretas da BR 101 e 280. Segundo porque toda a operação necessitará de mão de obra francisquense e não de Itajaí como aconteceu recentemente. Neste caso a resistência ao desenvolvimento refletirá no atraso irrecuperável de mais serviços e empregos para nossa gente. O Terminal Mar Azul é um empreendimento privado que não concorrerá como o Porto de São Francisco do Sul, mas complementará na agilização da operação de desembarques das bobinas bem próximo da indústria instalada no município há 7 anos.

Adilene Said
AgP- Comunição Empresarial
agp.comunicacao@gmail.com

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: